Obra

Decantação e Desastres

artistas: Lígia Borba e Carina Weidle
curador: Agnaldo Farias
local: Sala 4

Museu Oscar Niemeyer realiza mostra com obras de Carina Weidle e Lígia Borba

O Museu Oscar Niemeyer abre a partir de 27 de abril a mostra “Decantação e Desastres”, que reúne os trabalhos das artistas Carina Weidle e Lígia Borba.
Com curadoria de Agnaldo Farias, a proposta é estabelecer um diálogo entre as obras de ambas as artistas. A mostra possui esculturas, fotos, cerâmicas e pinturas. 
Carina Weidle apresenta um projeto de exposição alicerçado em trabalhos produzidos nos últimos anos, em cerâmica primordialmente, mas também envolvendo vídeos. Parte desta proposta é resultado da tese de doutorado intitulada Des Astres com a máquina de escrever, a guilhotina e os fósforos (USP, 2014). 

Lígia Borba propõe grupos escultóricos que tem comum o procedimento de reprodução de objetos em técnicas cerâmicas variadas por meio de moldes onde cada cópia é feita de maneira a apresentar algum grau de diferença, demonstrando assim um desenvolvimento em narrativa literária temporal.
O curador Agnaldo Farias acrescenta: “Nesta exposição, a cerâmica e a porcelana são os denominadores comuns entre as artistas. O que é o mesmo que dizer que trabalham em parceria com o fogo. É a ele que submetem a argila, intensamente manipulada até atingir o que se deseja: cabeça, fruta, mão, uma vulgar caixa de fósforos, uma pequena pilha de biscoitos”. 

“Decantação e Desastres” fica em cartaz até dia 9 de setembro de 2018. No dia e horário da inauguração a entrada é franca. A visitação pode ser feita de terça a domingo, das 10h às 18h. O valor do ingresso é R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada). Nas quartas a entrada é sempre gratuita.

Sobre as artistas
Carina Weidle possui graduação em Superior de Pintura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (1988) e mestrado em Master of Fine Arts - Goldsmiths College - University of London (1992). É professora assistente da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP). Tem experiência na área de Artes no departamento de Escultura, atuando principalmente nos seguintes temas: cerâmica, escultura, fotografia e instalação.
Lígia Borba tem Bacharelado em Pintura (1974) e Licenciatura em Desenho (1975) pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Possui pós-graduação em Ensino da Arte (1983), FAP e UFPR e pós-graduação em História da Arte (1993), EMAP. Estudou escultura com Décio Mauro Lima (Belo Horizonte), Francisco Stockinger (Porto Alegre), Juan Carlos Labourdet (Curitiba e Buenos Aires); e Cerâmica com Marek Ceculla (Curitiba) e Mabel Santos (Buenos Aires).

Serviço
Exposição “Decantação e Desastres”
27 de abril a 9 de setembro de 2018
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h – acesso até 17h30

Lígia Borba | Conto Russo II (Paraíso), 2016 | Faiança - 6 altos-relevos em cerâmica vidrada em alta temperatura, 50 x 22 x 7 cm
Lígia Borba | Conto Russo II (Paraíso), 2016 | Faiança - 6 altos-relevos em cerâmica vidrada em alta temperatura, 50 x 22 x 7 cm
Carina Weidle | Revólveres, 2018 | Cerâmica vitrificada - queima raku, dimensões variadas
Carina Weidle | Revólveres, 2018 | Cerâmica vitrificada - queima raku, dimensões variadas
Carina Weidle | Saboneteira inclinada, 2013 | Terracota, porcelana colorida e vitrificado acumulado, 32 x 16 x 12 cm
Carina Weidle | Saboneteira inclinada, 2013 | Terracota, porcelana colorida e vitrificado acumulado, 32 x 16 x 12 cm