Obra

Anita Malfatti

artistas: Anita Malfatti
curador: Luzia Portinari Greggio
nº de obras: 100
local: Sala Miguel Bakun

A abertura da exposição “Anita Malfatti”, que será realizada no dia 05 de novembro, às 11 horas, no Museu Oscar Niemeyer (MON), dá início às atividades da Virada Cultural 2011 em Curitiba. A mostra, iniciativa da Secretaria de Estado da Cultura (SEEC), reúne cerca de 100 obras da artista que revolucionou a estética e a arte no Brasil no início do século 20. As pinturas expostas nos 500 metros quadrados da sala Miguel Bakun fazem parte de coleções particulares e de instituições públicas e privadas. Nos dias 05 e 06 de novembro a entrada no MON é gratuita.

“Agora em Curitiba, conseguimos reunir algumas das mais importantes e significativas obras de Anita, enriquecendo a quase inédita visão de toda trajetória da artista em seus melhores, mas também em muitos de seus mais emblemáticos, e, sem dúvida, sofridos momentos”, afirma a curadora, Luzia Portinari Greggio.

A arte de Anita Malfatti (1899-1964) deflagrou o que viria ser chamado de modernismo brasileiro. Em 1917 ela provocou escândalo em São Paulo ao exibir 53 trabalhos ousados. Monteiro Lobato reagiu ao experimentalismo da artista com um artigo, hoje célebre, chamado "Paranoia ou mistificação?", no qual compara o trabalho de Anita aos “desenhos dos internos dos manicômios". Mas o ataque do renomado escritor, que não foi o único a protestar contra a artista, promoveu e consagrou Anita. Em 1922, ela e outros poetas, escritores e intelectuais promoviam a Semana de Arte Moderna. Desde então, a arte no Brasil nunca mais foi a mesma.

“Causa admiração a atualidade de Anita que muitas vezes, injustamente tratada pela crítica, surpreendentemente, ou não, desperta um grande carinho e uma emoção tocante nas gerações mais novas”, diz a curadora.