Obra

Pescadores de Tainha Leonardo Régnier

artistas: Leonardo Régnier
nº de obras: 43
local: Torre

Anualmente, entre meados de maio e julho, os pescadores nativos da llha do Mel reúnem-se à beira-mar para esperar a entrada das tainhas na Praia do Farol. A vigília é acompanhada por suas mulheres e filhos. Quando os cardumes se aproximam, os pescadores lançam as redes ao mar e festejam. 
O contexto descrito e a importância socioeconômica para o grupo de pescadores despertaram o interesse e a sensibilidade artística de Régnier e do cineasta Túlio Viaro. Em parceria no projeto, eles registraram em foto e vídeo a pesca artesanal da tainha na Ilha do Mel. A exposição conta com 42 imagens em preto e branco, além da exibição do filme de Viaro.

“O documentário não é propriamente sobre a pesca da tainha. Também não é sobre a Ilha do Mel. De fato, é um documentário sobre pessoas, o modo como vivem e trabalham, suas lendas e crenças”, reflete Régnier. Percepção e análise semelhante teve a artista plástica e diretora do MON, Estela Sandrini. “Com sensibilidade e poesia eles revelam o lado humano, do cotidiano, da vida da comunidade, o convívio entre os nativos. Ao mesmo tempo em que documentam o elo de respeito e amor dos pescadores com o mar”.

O projeto foi iniciado em 2008 e concluído dois anos depois, com a produção de novas imagens e depoimentos. Para chegar ao objetivo, os dois profissionais se integraram ao grupo por três temporadas, em curtas estadias de três dias, em média.