Obra

Translúcido - Imagens e Movimentos

artistas: Arthur Tuoto e João Krefer
curador: Fernando Bini e Fernando Severo
nº de obras: 21
local: Sala 6

Translúcido - Imagens e Movimentos de Arthur Tuoto e João Krefer

“Translúcido - Imagens e Movimentos de Arthur Tuoto e João Krefer” tem importância histórica por ser a primeira exposição sediada no MON que apresenta obras elaboradas a  partir do trabalho de artistas locais que têm no meio audiovisual sua forma de criação primordial, embora dialoguem com fluência com outras áreas  e incursionem pelo terreno da fotografia e da instalação. 

Krefer e  Tuoto são os primeiros realizadores paranaenses a construir um conjunto de obras desse gênero, que são selecionadas e exibidas  regularmente pelo circuito dos festivais, mostras e salões de arte no país e no exterior.

As obras dessa exposição, que tem curadoria de Fernando Bini e Fernando Severo partem de uma percepção essencialmente cinematográfica, onde o ato de olhar - seja através do vídeo, da fotografia, da instalação ou da performance - sempre media fronteiras constantemente frágeis entre o visível e o intuitivo, o palpável e o impalpável, a lucidez e a divagação. 

Arthur Tuoto e João Krefer recusam se enquadrar numa categoria estritamente "experimental", almejando não apenas a desconstrução formal, mas, antes de tudo, a manifestação de novas perspectivas sensoriais, políticas e cotidianas do mundo ao redor.

Krefer parte das formas narrativas em busca de situações contemplativas, existenciais. Tuoto parte da experiência com a luz e trabalha com a transparência, a reflexão e a sobreposição dialogando com o real.

João Krefer e Arthur Tuoto

João Krefer é graduando em cinema pela Escola Superior Sul-Americana de Cinema e TV do Paraná (CINETVPR), dentro da Faculdade de Artes do Paraná (FAP). Sua obra se debruça sobre questões como existência, identidade e pertencimento, frequentemente partindo de reflexões pessoais que se confrontam com o senso comum. Seus trabalhos já foram apresentados em eventos audiovisuais como o 57º Festival Internacional de Documentários e Curtas-Metragens de Belgrado (Sérvia), o 9º DocuDays – Festival Internacional de Documentários de Beirute (Líbano), o 21º Curta Cinema – Festival Internacional de Curtas-Metragens do Rio de Janeiro (Brasil) e o MINA 2011 – International Mobile Innovation Screening (Nova Zelândia), além de prêmios recebidos no 5º Vivo ARTE.MOV – Festival Internacional de Arte em  Mídias Móveis (Brasil), no 8º Festival Internacional de Cinema de Naoussa (Grécia) e no Hong Kong International Mobile Film Awards 2011 (Hong Kong/China), entre outros.

Artista visual e cineasta, Arthur Tuoto desenvolve uma obra diversificada que mescla arte eletrônica, cinema, fotografia e novas mídias. O artista constrói uma pesquisa focada em imperativos de uma política do olhar cada vez mais presente no nosso cotidiano, explorando imaginários que vão da mídia televisiva  ao  flagrante  urbano,  da tensão de certas imagens contemporâneas à memória afetiva pessoal. Já teve trabalhos expostos no Moscow Museum of Modern Art (Rússia), Casoria Contemporary Art Museum (Itália) e Galerie octObre (Paris), integrou a IV Bienal do Porto Santo (Portugal), 5ª Bienal Latino-Americana de Artes Visuais Vento Sul (Brasil), além de participar de diversos festivais de cinema e exposições no Brasil e ao redor do mundo.