Obra

Sergio Camargo: Percurso escultórico

artistas: Sergio Camargo
curador: Paulo Venancio Filho
nº de obras: 46
local: Sala 5

Quarenta e seis obras, 26 delas tridimensionais, além de desenhos e estudos, compõem a exposição “Percurso escultórico”, de Sergio Camargo (1930-1990), com curadoria de Paulo Venancio Filho. Camargo é um dos mais premiados escultores brasileiros. Durante décadas de intensa atividade, submeteu a sua produção a júris, em salões e bienais, e foi reconhecido – no Brasil e no exterior. Participou da 4ª Bienal de São Paulo, em 1957, e do 9º Salão de Arte Moderna, em 1960. Realizou exposições na Itália, Venezuela, Nova York, Alemanha, França e outros países.

Nesta exposição, que segue até 26 de agosto, será possível acompanhar parte significativa da trajetória do artista. Desde as esculturas da década de 1960, os cilindros inclinados de madeira, passando pela produção dos anos 70, os chamados sólidos móveis em mármore, até as realizações de 1980, período no qual ele utilizou um tipo especial de mármore duro, o Negro-Belga.

A diretora do Museu Oscar Niemeyer, Estela Sandrini, destaca, entre as obras da exposição, Homenagem a Brancusi. “É uma peça de 1968, que Camargo fez em homenagem ao romeno Constantin Brancusi, pioneiro da escultura abstrata. Camargo conviveu com Brancusi, e essa obra revela a admiração de um artista por outro. É um diálogo entre dois olhares”, diz Estela.