Obra

Audácia Concreta - obras de Luiz Sacilotto

artistas: Luiz Sacilotto
curador: Claudinei Roberto
nº de obras: 135
local: sala 6

Museu Oscar Niemeyer recebe mostra do concretista Luiz Sacilotto
Nesta retrospectiva, mais de 100 obras serão expostas 

O Museu Oscar Niemeyer (MON) apresenta a mostra “Audácia Concreta: as obras de Luiz Sacilotto”. Com curadoria de Claudinei Roberto da Silva, a mostra propõe uma retrospectiva do trabalho do artista, compostas entre 1949 até seu falecimento, em 2003, e ficará em cartaz do dia 30 de abril até 4 de outubro. 

A coleção, com 134 obras, traz desde os primeiros trabalhos do artista até a série de colagens, produzida no período final de sua vida. A diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika, diz que para o Museu Oscar Niemeyer é uma honra poder mostrar ao público a retrospectiva de Luiz Sacilotto. “É uma grande oportunidade para podermos acompanhar a rica trajetória deste expoente do concretismo brasileiro”.

O curador Claudinei Roberto da Silva aponta: “Esta é uma das exposições mais importantes acontecendo atualmente no Brasil e ser feita no MON é um privilégio, pois a obra de Niemeyer e a de Sacilotto amalgamam-se”, analisa.


O artista
Luiz Sacilotto (1924-2003) nasceu em Santo André, SP, em uma família de imigrantes italianos. Iniciou seus estudos na própria região e profissionalizou-se ao formar-se técnico em 1943. Transitou entre as artes e o ofício de forma linear e paralela. 

Participou da exposição Ruptura, realizada no Museu de Arte Moderna de São Paulo em 1952, e foi um dos signatários do manifesto de mesmo nome, que marcou o início do movimento concretista brasileiro. Desde cedo seu currículo se construiu de forma coerente e invejável. Participou de seis Bienais de São Paulo: em 1951, 53, 55, 57, 61 e 67; da Bienal de Veneza em 1952; da Exposição Nacional de Arte Concreta em São Paulo em 1956 e no Rio de Janeiro em 1957; na Konkrete Kunst (exposição nacional de arte concreta em Zurique) em 1960. Trabalhou com um grande rigor formal sem renunciar à sensibilidade. Foi reconhecido pela crítica e pela classe artística, ganhou diversos prêmios, inclusive o de “Artista do ano”, pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em 2000. Luiz Sacilotto faleceu em 2003 no ABC Paulista onde sempre viveu.

O curador analisa o percurso do artista, “ainda que Sacilotto tenha se aproximado e interagido com o grupo de artistas Concretistas, ainda que tenha composto o manifesto Ruptura, sua arte expressa mais do que uma simples recusa da figuração, mais do que um apreço pela forma geométrica. Quando se olha para uma obra – ou uma série – de Sacilotto, estamos olhando para um processo de profunda elaboração cerebral, matemática, geométrica quase compulsiva, na qual o artista via movimentos, desdobramentos, jogos de cálculos que – hoje, décadas depois – são a base da programação computacional, do design gráfico, das artes digitais. Certamente não era apenas uma recusa da figuração que procurava Sacilotto”, afirma.

Exposição “Audácia Concreta: as obras de Luiz Sacilotto”
Período expositivo: 30 de abril a 4 de outubro de 2015
Sala: 6
Terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$9 e R$4,50 (meia-entrada)

Dias especiais
Domingo + Arte: entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês
Quinta + MON: primeira quinta-feira de cada mês, horário de funcionamento estendido, das 10h às 20 horas, com entrada gratuita a partir das 18h

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico. Curitiba, PR.
Mais informações: (41) 3350 4400
www.museuoscarniemeyer.org.br
Facebook e Twitter: /monmuseu


Luiz Sacilotto | Recorte-0016, década de 2000 | Colagem de vinil sobre duraplac | 60 x 60cm
Luiz Sacilotto | Recorte-0016, década de 2000 | Colagem de vinil sobre duraplac | 60 x 60cm
Luiz Sacilotto | Sem-título, 1975 | Serigrafia sobre papel | 48 x 48 cm
Luiz Sacilotto | Sem-título, 1975 | Serigrafia sobre papel | 48 x 48 cm
Luiz Sacilotto | Sem título, 1992 | Serigrafia sobre papel | 50 x 70cm
Luiz Sacilotto | Sem título, 1992 | Serigrafia sobre papel | 50 x 70cm